Cuidados e pontos de atenção para o dimensionamento com módulos bifaciais

Cuidados e pontos de atenção para o dimensionamento com módulos bifaciais

Publicada no dia

Breve resumo do módulo bifacial

Módulos bifaciais são painéis fotovoltaicos que possuem a capacidade de gerar energia extra através da incidência de raios solares pela sua parte traseira, ou seja, como o nome já diz, possui duas faces.

Sobre o funcionamento e construção do módulo, fizemos um artigo dedicado a isso:

https://edeltecsolar.com.br/noticias/modulo-bifacial

 

Aplicações e uso dos módulos bifaciais

Como pode ser visto no artigo citado anteriormente, os módulos bifaciais possuem um melhor aproveitamento da sua tecnologia em instalações de solo e laje, entretanto, para que essa aplicação seja eficiente, há algumas particularidades que devem ser consideradas, assim como o dimensionamento deve ser feito de maneira mais cuidadosa, para que o ganho de potência adicional não prejudique os equipamentos.

 

Principais fatores para dimensionamento

O albedo é definido como “poder de reflexão de uma superfície”, ou seja, é a divisão entre a radiação refletida e a radiação incidente de uma superfície. Por exemplo, uma parede branca possui um albedo muito maior do que uma parede preta, pois reflete mais luz. Todo elemento e superfície possui um coeficiente de albedo, por exemplo grama, terra, cimento, concreto e etc. De forma resumida e simplificada, quanto mais clara a superfície, maior será o albedo. Esse elemento deve ser levado em conta quando iremos utilizar módulos bifaciais em nossas instalações (solo e laje), pois é justamente essa luminosidade refletida que será aproveitada pela parte traseira do módulo. Pensando nisso, quando for feito um projeto de solo (ou laje) com módulos bifaciais, é interessante que haja um preparo no local, como por exemplo colocar pedra brita clara no local onde os módulos ficarão.

Outra ponto a ser avaliado é a altura que os módulos ficarão da superfície, estruturas laje comumente já vem tamanhos pré estabelecidos pelo fabricante e não há muito o que possa ser feito, entretanto, para estruturas solo é interessante cerca de 60 cm a 1 metro de distância para que haja um bom aproveitamento pelo módulo bifacial, uma altura muito pequena limita o espaço disponível para o recebimento dos raios refletidos.

O distanciamento entre as mesas (pitch) também pode influenciar, conjuntos de módulos muito pertos um do outro pode provocar sombras que cobrem a superfície toda, limitando o espaço disponível para que haja a reflexão dos raios solares. Entretanto, é necessário um estudo de viabilidade de eficiência nesses casos, pois quanto maior o pitch, menor o espaço para alocação das placas, logo, pode não compensar aumentar esse espaço apenas para haver um ganho de 1 a 2% na geração.

Quanto a relação entre módulo e inversor, é importante relembrar que há um ganho de corrente e tensão resultante da bifacialidade, esse ganho pode ser maior ou menor conforme as variáveis citadas anteriormente, além disso, os datasheets dos módulos bifaciais geralmente trazem relações de 5 a 25% de taxa de irradiação e o quanto isso impactará nas especificações elétricas do módulo. Tomando como exemplo o módulo da JA Solar 535W, ele traz as características elétricas para uma taxa de 10%, ou seja, 10% da luz que irradia na superfície é refletida e aproveitada pelo módulo:

 

Assim, de uma potência nominal de 535W o módulo passa a produzir 572W devido à bifacialidade e consequência do aumento da corrente e tensão. Desta forma, pode ocasionar danos ao aparelho caso essa característica não seja levada em conta no dimensionamento do inversor.

É sempre recomendado dimensionar o equipamento para que haja uma margem de segurança, além disso, em casos de usinas de solo é importante a utilização e verificação do sistema através de um software de simulação, como por exemplo o PVsyst, o qual nos garante a compatibilidade dos equipamentos dimensionados e a geração provisionada. 

 

/seguro-engenharia

Outras Notícias

6ca68d7c-b0c5-4f37-9619-8b1c5f6c850c
Energia elétrica sobe, e reajuste faz com que procura pela energia solar aumente
6f92be68-d63b-4e7e-b36b-086dcebb8901
Parque Solar na Bahia vai levar energia limpa para a região
c34dd63d-6763-43e3-a715-505101857ece
Projeto no senado analisa que distribuidoras declarem créditos de energia para consumidores da GD
ce4ca441-d623-4f29-a493-e6e76a139949
Absolar solicita que painéis solares sejam utilizados em telhados para os presidenciáveis
089bac73-f428-4d2f-a6c2-d44c21ea5826
Absolar é a favor da defesa de mais políticas públicas para produção de energia renovável por parte do próximo Governo Federal
4c096ce8-a7f6-44be-9591-db42db71b608
O setor elétrico em mudança e a corrida pela energia solar
0a83ace1-4b3c-4749-9b30-12cdaee62cdf
Mercado de reciclagem de painéis FV esquenta, e pode chegar a US$2,7 bilhões até 2030
210df738-e151-4471-a577-2c48dc45bfb1
Energia solar abastece trailer de R$ 1,8 milhão
1bf19ba1-e7c8-4faf-be9d-405faa643399
Festival Música na Árvore usa estrutura movida a energia solar como prática sustentável
9803ead6-a5b6-4d69-b8e3-c83c76e8f323
Até o final de 2022, produção de energia solar deve dobrar nas residências
Qualidade Garantida
Suporte Total de Nossos Consultores
Segurança e Conformidade

EDELTEC - SOLUÇÃO E TECNOLOGIA EM UM SÓ LUGAR
Rua Princesa Isabel 138, 5º Andar, Salas 51 à 54, Zona4, Maringá-PR. CEP 87.014-090 | CNPJ: 10.289.713/0001-70
Rua Domingos Rampelotti 3501, Galpão 01 A e B, São Roque, Itajaí - SC. CEP 88.317-600 | CNPJ 10.289.713/0003-32
COPYRIGHT © 2021 EDELTEC
Desenvolvido por
Ipolitus Desenvolvimento e Operações